Visão

“Numa época em que a fé perde o seu conceito, a doutrina é substituída pela experiência e a consciência cristã se acomoda no sensorial, há necessidade de vivermos o cristianismo que tem a Palavra de Deus como filtro de toda verdade. Os educadores cristãos devem rever urgentemente seus paradigmas educacionais para não apresentar um ensino bíblico irrelevante ao homem pós-moderno. A Igreja não necessita de novos propósitos como alguns interpretam. Jesus já deixou propósitos para Ela (Mt 28.18-20; Mc 16.15), urge rumo e comprometimento com o Reino de Deus.

O cristão deve demonstrar a sua fé com uma conversão genuína, conhecimento da Palavra e oposição às hostes espirituais do mal, que estão entrincheiradas nas filosofias pós-modernistas. Estas são as causas do cristianismo estar acuado. Sair desta posição é imperativa para a expansão do Reino de Deus. A educação cristã deve refletir as “singulares qualidades” de Cristo, para que Sua Igreja seja revestida de Seu Espírito. Não isolar os cristãos da sociedade, mas equipá-los para ser sal e luz neste mundo. Nossos ensinamentos devem preparar os cristãos para o Reino dos Céus e para a “mercado de opiniões” vigentes, com o propósito de fazer a obra do Senhor, colaborando com Ele no resgate de almas para o Seu Reino. “Vós sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos os homens...” ... escrita não com tinta, mas pelo Espírito de Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações.” (2Co 3.2,3) É responsabilidade de cada cristão levantar a bandeira do evangelho e defender as verdades bíblicas batalhando “pela fé que uma vez foi dadas aos santos ( Jd 1.3b)".