Brincadeiras - Jogos Narrativos

 

Nas antigas civilizações os jogos já eram utilizados com finalidades de entretenimento, desenvolvimento da inteligência e até como recursos de estratégia nos duelos e batalhas. 
A atividade lúdica estimula as funções cognitivas, de linguagem e contribui para o aprimoramento das potencialidades criativas. 
Assim como o jogo, uma história também propicia o desenvolvimento do potencial crítico e criativo do indivíduo. A experiência narrativa torna-o mais perceptivo e atuante em relação às pessoas e às coisas que o cercam. Através de uma história, pode-se descobrir lugares, épocas, formas de agir, pensar, regras e éticas, sob diversas óticas. Tanto um, como o outro, contém objetivos a serem cumpridos, e obstáculos que buscam impedir o cumprimento destes objetivos. Numa narrativa isto chama-se conflito. O enredo de uma história é seqüencialmente uma sucessão de fatos que por si só nem sempre são suficientes para despertar o interesse do interlocutor. Necessita de uma situação-problema, para que isto ocorra. 
Da mesma forma, num jogo, uma tarefa pura nem sempre é o bastante para provocar o interesse dos jogadores. Há neste caso, a necessidade do obstáculo-problema que dificulte a realização de cada tarefa no seu procedimento passo a passo. 
Esta característica do conflito como elemento motivador, possibilita que uma história seja um jogo, do mesmo modo que um jogo também pode ser uma história. A intercessão destas duas modalidades de entretenimento lúdico e instrutivo resulta no que podemos chamar de JOGOS NARRATIVOS. 
- Um projeto de jogos didáticos e educativos com a Criação de jogos narrativos e dramáticos. 
- Construção de jogos com material reciclado. 
- Criação e interação com a literatura e a dramaturgia a partir de jogos. 
Tudo isto consiste em oficinas onde as crianças aprenderão jogando.

 

 

voltar